quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Ora às vezes dá-me para isto


Ora bem,

Às vezes dá-me umas maluqueiras bem malucas e ponho-me a escrever coisas que nem ao mais maluco dos malucos lembraria :P

Vou explicar o contexto do que vem a seguir. Então é assim, eu sou uma bocadinho casamenteira e adoro fazer "arranjinhos". O meu alvo mais recente é uma amiga minha que denominarei de "Panela" (ela não quer que diga o nome dela). De há uns dias para cá eu comecei a chamar-lhe lombinha e a um rapaz amigo dela comecei a chamar-lhe lombinho, sendo que eu acho que aquilo ainda vai dar mesmo em namoro, mas enfim...depois veremos :P

Vou então passar a citar o poema que fiz para ela, ou melhor, para me meter com ela:


Lombinho, Lombão, amor do meu coração


Como um lombinho que sai do forno

Ele apareceu para abanar o forno dela.

Veio de mansinho, muito devagarinho

Ser o lombinho da “Panela”.

Lombinho meu vem cá

Preciso de fazer o jantar.

Lombinho meu vem cá

Vou-te pôr a assar.

Vou com sal te esfregar,

Com vinho te regar,

Com limão te temperar

Para o meu coração te entregar.

Vamos lombar

Muitos juntinhos,

E por esta vida fora

Ter muitos lombinhos.

Lombinho meu, como te adoro.

Quero que todos o saibam.

Lombinho meu, lombinho meu

Sabes que ninguém te cozinha como eu.

És o meu lombinho

Estás sempre no meu coração.

Se te atreveres a de lá sair

Vais directo para o fogão.



Apenas mais uma maluquice :P


4 comentários:

Guida disse...

poema super original miga, agora so falta encontrarmos uns lombinhos para nos ne ? xp

Mikaka disse...

Guida: YA. Uns lombinhos suculentos e tenrinhos para nós xD

Nini disse...

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOL
Tu já tens Paula!

Sophie Cadabby disse...

Oh Lombinho, Lombinho, deixa a Panela dar-te umas trincas no escurinho do fogão :p