terça-feira, 1 de julho de 2008

Eclodir Azul – O meu novo vício


Sendo este o primeiro texto a postar neste blogue, queria expressar-me acerca de algo que fosse importante para mim e por isso vou falar do Eclodir Azul que perceberão mais a frente do que se trata. Antes do Eclodir Azul entrar na minha vida, o mundo girava só à volta da escola. Era escola-casa, casa-escola! Quase que dava em maluca.
No entanto, um breve raio de sol surgiu no meio da escuridão que existia na minha vida, num dia em que foram tocar à minha escola e pensei para mim mesma "Eu quero entrar nisto", no entanto, por ser tímida e envergonhada não queria ir sozinha e por isso andei a chatear todos os meus colegas de turma para irem comigo. Nenhum deles quis e a ideia ficou em "standby" até que numa outra vez que lá foram descobri que uma grande amiga minha queria entrar também e assim foi. Preenchemos a ficha de inscriçãoo e entregámos na papelaria, no entanto, os dias passavam e nunca mais nos diziam nada! Andou à volta de três semanas o tempo de alguém levar da papelaria a nossa ficha e até falámos no facto de já não nos chamarem. Atá que o dia chegou, o dia 26 de Outubro de 2007 em que uma mensagem chega aos nossos telemóveis a dar as boas vindas à família Eclodir Azul! Sim, à família Eclodir Azul! Para mim, o pessoal do Eclodir Azul é como uma grande família. Apesar de no início sentir que não gostavam muito de nós, penso que agora já gostam (embora muitos ainda nos troquem os nomes) e eu também gosto muito de todos eles!
Hoje em dia o Cine - Teatro de Loures, local onde são os ensaios, é como a minha terceira casa sendo a escola, a segunda porque é onde passo mais tempo. As raríssimas vezes que tenho de faltar por algum motivo, estou sempre com o pensamento lá e a pensar que podia estar a tocar. O Eclodir tornou-se num vício, numa necessidade e não sei como farei um dia se tiver que sair, pois é isso que me permite distrair e abstrair dos problemas. Quando estou a tocar é como se os problemas desaparecessem! É impossível não se ficar com o "bichinho" da percussão. É só ter à minha disposição qualquer coisa para bater, lá estou eu a batucar, nem que seja com as mãos nas pernas. Os meus amigos já não me podem ouvir, a minha mãe também não...mas eu não posso fazer nada! É um vício, mas bastante saudável sem dúvida nenhuma!
Bom, muitos dos que podem vir a ler este texto de certo que não saberão o que é o Eclodir Azul! Então, eu vou explicar, não prometendo ser imparcial no meu texto pois é impossível não dizer bem do EA. O Eclodir Azul é uma Orquestra de Percussão e surgiu graças ao esforço de cinco jovens que já tendo frequentado um projecto de percussão, decidiram que queriam ir mais além, queriam aprender mais e fazer desenvolver a percussão nas suas vidas. O que tinham já não lhes chegava e apesar de todas as dificuldades e contratempos lá conseguiram pôr de pé este grandioso projecto que tanta alegria dá a todos os que tocam, e mais do que provado, também a todos os que ouvem. No início, sem instrumentos e sem local para ensaiar, tocavam em contentores e bidões na rua. Fosse ao sol, à chuva, ao frio ou ao calor...
Nenhuma das adversidades que se impuseram à conquista deste sonho conseguiram fazê-los desistir. A maior parte das pessoas duvidavam que a energia, jovialidade, força e desejo de conquista destes jovens pudesse triunfar e por isso até um simples protocolo com uma autarquia foi de início bastante difícil de concretizar pois afirmavam que o Eclodir Azul não tinha pernas para andar e que não chegaria a durar dois anos. Este ano, em Outubro, o EA irá completar três anos de existência, contrariando tudo e todos que duvidavam da edificação deste magnífico projecto que tem à sua frente um futuro maravilhoso cheio de grandiosas actuações e muitos anos de alegria contagiante, característica fundamental do grupo.
Vou começar com as apresentações. Os fundadores do eclodir azul são, como já referido, cinco talentosos jovens. Eles são: Isnaba, Ismael, António, Hugo e Nuno. O resto dos Eclodistas são tantos que não vou enumerar todos os seus nomes. Apenas posso referir que são pessoas de várias faixas etárias, nacionalidades, religiões, profissões e tudo o mais que possam imaginar. Cada um de nós é um bocadinho daquele espírito de amizade, entreajuda, amor, stress por vezes e também de muita alegria e "maluquice".
Há muito mais para falar acerca do Eclodir Azul mas se o fizesse iria prolongar ainda mais este texto pois teria de falar dos magníficos amigos que fiz, das pessoas que apesar de não tocarem são fundamentais na orquestra, dos calos que ganhamos nas mãos, entre muitas outras coisas. Deixando essa tarefa para mais tarde, concluo este texto dizendo que este grupo merece ser mais apoiado pois tem levado além fronteiras o nome de Portugal recebendo em todos os locais a que vai, inúmeros elogios. Inglaterra, Polónia, Grécia, Espanha, entre muitos outros países, têm sido alguns dos destinos desta Orquestra que deixa sempre bem claro o valor de todos estes Eclodistas que se esforçam por representar o melhor possível, o nosso país, Portugal! Olhem para o exemplo deste projecto e nunca deixem de seguir os vossos sonhos, mesmo que todos digam que o esforço será inútil. Mais vale fracassar a tentar do que fracassar por não ter tentado. Com força de vontade e perseverança tudo se consegue, mesmo a mais complicada tarefa do mundo. Lutem! Esforcem-se se e acima de tudo, SONHEM e nunca desistam por mais difícil e árduo que seja o caminho a percorrer.
Bons Sons!
De uma Eclodista viciada,

8 comentários:

Raffa disse...

Muito bem, dona Paula, gostei do teu primeiro post. :P

E eu sei que tu gostas muito do Eclodir Azul. E ainda bem; há que começar a mostrar que neste país também se faz música, boa música!
E não penses no tempo em que terás que sair de lá. Pensa antes no tempo em que lá estás e és feliz. Nada mais importa.

Só uma coisinha, não é “stanby” mas sim Standby. ;)

Beijinho*

ISMA disse...

Alo, Paula!
Bem aqui está um texto que quase me veio as lágrimas aos olho! Ai que exagero Ismael. É de uma extraordinária excelência o teu texto, e digo-te desde já que está muito bom, mas faltou ai uma coisinha minha amiga... Esqueceste de colocar o Website para quem não sabe bem o que é EA podia ir ao site ver o que se trata, ou seja, esqueceste a parte de colocar um link do "SITE do EA"... Só por isso vou te despromover do teu cargo de jornalista da RTP para jornalista da RTP2 hihihih!!! Porta-te bem mal aquele abraço e continua a mostrar as tuas garras porque é isso que precisamos de ver...

Sarah Filipa disse...

ai rafa qe prefeccionista xD

olaa paulinhaa foufa, olha gostei muito do teu blog :)
e paroveita as coisas boas da vida como pra ti é o eclodir azul :p
beijoca*

Sarah Filipa disse...

*aproveita

Isnaba disse...

Eclodir Azul...
Este tem sido o novo caminho, a revolução de uma nova vida, nova geração; não direi uma revolução de Abril, mas sim de cravos e rosas de uma nova Era.

Eclodir Azul...
Assim se chama a nova Chama desta juventude tão inquieta e tão indignada com a paragem dos ritmos cardíacos, dos ritmos...

Eclodir Azul...
Foi quando ainda não era... é quando ainda não terminou de ser... e será quando for...

Sejam todos BEM-VINDOS a esta grande Família a que um dia alguém se atreveu a chamar de ECLODIR AZUL!

P.S.: venham conhecer a nossa história em www.eclodirazul.com

Bons Sons!

jorge disse...

Que blog maravilhoso...Aquela parte: "No início, sem instrumentos e sem local para ensaiar, tocavam em contentores e bidões na rua. Fosse ao sol, à chuva, ao frio ou ao calor…"
Isoo tudo e erdade...i eu que o diga...A chuver eu so queria ir para casa mas nao podia lo0l...no calor ficava cansado mas nao podia parar...
De facto este e um blog espetacular...Parabens ...

Aninhas disse...

És um amor obrigada por todo o apoio q me das... És uma excelente amiga espero q o sejas sempre assim és a minha mori :) bjs

Anónimo disse...

Esta é a tua "nova" febre....


Tocas muito bem.... por isso espero que esta "febre" nunca te passe!!!...


Beijinhos...
****

Ass.: Maryline...